Como o compartilhamento de carros traz benefícios para a cidade

O impacto da economia compartilhada vem se mostrando cada vez mais positivo para a sociedade e para os seus adeptos, invertendo a lógica do consumo e incentivando uma melhor distribuição de renda.

Os serviços de compartilhamento de carros, por exemplo, facilitam o acesso a veículos e desestimulam a aquisição desse bem nos casos em que se faz um uso pontual do automóvel. Além de beneficiar o condutor, possibilitando um aluguel acessível e mais em conta, os sistemas de compartilhamento entre pessoas faz com que o proprietário transforme o seu veículo em uma fonte de renda.

Mas, você já pensou que esse tipo de serviço também pode produzir mudanças positivas nas cidades? O compartilhamento de carros ajuda a reduzir o número de veículos adquiridos e em circulação, o que representa hoje em dia um importante fator de melhoria para os centros urbanos.

Separamos cinco itens, sobre como o compartilhamento de carros pode trazer benefícios para as cidades, confira:

 

1. Melhora no trânsito

A primeira vantagem da redução de veículos nas ruas e avenidas possibilitada pelo compartilhamento é, sem dúvida, a melhora no trânsito. A diminuição da quantidade de carros nas vias deixa o trânsito mais fluido e menos estressante e impacta positivamente na mobilidade urbana e na qualidade de vida da população. A relação entre estes dois itens já foi comprovada: em cidades onde o tempo de deslocamento é pequeno e o período gasto no congestionamento é mínimo as pessoas vivem melhor.

Os estudos sobre car sharing apontam que cada carro compartilhado retira em média 13 carros particulares da rua. Apesar do carro compartilhado ser usado por mais tempo e mais vezes durante um único dia do que um carro normal, as pessoas que passam a utilizar estes carros se tornam usuários "multimodais", ou seja, elas passam a usar outras formas de transporte que não seja o carro, como por exemplo, metrô, ônibus ou bicicleta, ao invés de utilizar quase que exclusivamente um carro particular.

 

2. Redução da poluição do ar

Outro efeito direito e já observado em cidades que estimulam a redução do número de carros é o impacto positivo na qualidade do ar. Os veículos são um dos principais causadores da poluição nos centros urbanos, pois as substâncias emitidas na queima do combustível são nocivas ao meio ambiente à nossa saúde. O monóxido de carbono é tóxico e pode provocar até alterações do sistema nervoso central, enquanto os outros gases presentes na fumaça dos carros podem causar danos aos pulmões e a outros órgãos do aparelho respiratório.

 

3. Diminuição da área de estacionamento

Os carros não “lotam” somente as ruas, eles também ocupam muitos outros espaços da cidade que poderiam ser aproveitados para outros fins. 25% da área construída na cidade é vaga de estacionamento.

Uma cidade “construída” para os carros e não para as pessoas claramente não atende às necessidades dos seus habitantes. Nesse sentido, o compartilhamento de veículos também pode ser importante: além de reduzir o número de novas aquisições, os carros já em circulação acabam tendo mais uso, o que minimiza o tempo que eles ficam parados, demandando assim menos espaço de estacionamento.

 

4. Cria laços de amizades

Os sistemas de compartilhamento também ajudam na retomada do conceito de “comunidade” e no fortalecimento do espírito coletivo, deixado um pouco de lado nas últimas décadas. Através desses serviços são criadas redes de troca e colaboração que podem ser muito benéficas para os participantes e também para o lugar onde eles vivem: juntos eles são mais fortes e podem pensar em melhorias concretas para a rua, o bairro ou a cidade onde vivem.

Plataformas como a Zazcar incentivam, por exemplo, que você alugue um carro perto de onde mora, o que torna a ação também uma experiência de contato com outras pessoas da sua região – talvez até um vizinho que você dificilmente conheceria de outra forma.

 

5. Incentivo a uma cidade mais viva

Você já se perguntou por que costumamos gostar tanto das cidades europeias? Com certeza, um dos fatores que chamam a atenção de um brasileiro é a presença de pessoas na rua, a vivacidade desses lugares. É evidente que se tratam de realidades bem diferentes ao comparar São Paulo com Amsterdam por exemplo, mas também é verdade que quem possui um veículo acaba por utilizá-lo bem mais do que o necessário, o que restringe ainda mais o seu contato com a cidade e com as outras pessoas.

Pesquisas constataram que o tempo passado dentro do carro significa menos tempo nos espaços públicos e tem como consequência uma menor interação pessoal. Ou seja, o carro deixa as pessoas “antissociais”, porque “dentro” do automóvel elas ficam isoladas do ambiente urbano e acabam deixando de se relacionar. Cidades onde as pessoas estão na rua e frequentam os espaços públicos são sem dúvida mais vivas, mais seguras e mais atraentes.

O compartilhamento de carros auxilia na construção de uma cidade com menos veículos e onde estes sejam usados de forma compartilhada. Mas e você, o que está fazendo para melhorar a sua cidade?